As playlists de novidades musicais da Sexta Sei em 2021

Pelo amor de Deize

Fabiano Moreira

Ano novo, playlist nova! Vamos reunir, neste post, as playlists mensais da Sexta Sei, criadas a partir das que saem, toda sexta, na coluna, com os lançamentos do streaming na semana. As do ano passado está aqui.

Janeiro

O ano começou macio com lançamentos especiais, como o de Gustavo Galo, que foi no final do ano passado, mas que entra no nosso 2021 pela lógica de organizar sextando. Ano novo, vitrola nova, rodando as belezuras que são o disco de releituras de funks de Luana Carvalho com produção de Kassin, o excelente disco de estreia dos meninos do Roça Nova, EP de Duda Beat e Nando Reis, disco de estreia do Nu Azeite, novo das Anavitória, álbum de Lê Almeida. E, claro, uma festa de singles de Jup do Bairro, Gal Costa com Silva e Criolo, Filipe Catto, Natiruts e Ziggy Marley, Chico Chico e Mantuano, Banda Teresa e Kassin, Marina Sena, Matheus VK, IAMDDB, As Baías e Luisa Sonza, MC carol, Mart’nália e Johnny Hooker, Kamau, Rincon Sapiência, Kylie Minogue e Dua Lipa, Edgar, Bk, Anitta, Zé Manoel, Romero Ferro e Duda Brack.

Fevereiro foi sem carnaval, mas, no streaming, o ritmo se fez presente em lançamentos bacanas,  como o feat de Daniela Mercury e Gal Costa, “Quando o carnaval chegar”, no frevo rasgado do menino Chico Chico e nos bloco de rua em Paquetá no clipe de Clarice Falcão. Entre os discos lançados, o mês não fez feio, com o “Navio Pirata” do BaianaSystem, fazendo a conexão Salvador-África,  “Nenhuma dor” de Gal Costa, ligando a voz imortal da MPB a novas vozes masculinas da atualidade, e o delicioso encontro de Chico Chico & João Mantuano, em disco homônimo. O mês foi marcado por feats poderosos, como o que juntou Ludmilla, Major Lazer e ÀTTØØXXÁ, os mineiros Paige e Kdu dos Anjos, Gaby Amarantos e Jaloo, cada dia mais perigosas, Gilberto Gil, Gilsons e Bem Gil em defesa da refloresta, Tássia Reis e Caio Nunez e Maria Luiza Jobim e Otto.

Março

As águas de março não fecharam o verão, mas foi um mês bom aos ouvidos, com novos discos de BaianaSystem, Rico Dalasam, Djonga, Alceu Valença, Jam da Silva, Victor Seixas, A Travestis e Thiago Elniño. Entre os singles que chamaram a atenção, tem Elza Soares em “Nós”, Diplo, Major Lazer e Guaynaa, Omulu e BNegão, Lucas Koka arrepiando no Triplx, Lila e Larinx, NoPorn fazendo o esquenta do disco novo, um encontro bacana entre Ângela Ro Ro e Zezé Motta e Sam Smith dando uma roupa nova a “Time after time”, imortalizada antes por Cindy Lauper.

Abril

Continuamos presos em casa, mas “na JBL é só só tamborzinhho bolado” com os novos discos de Yoùn, Lucas Vasconcellos, Boogarins, NoPorn, Kevin o Chris, remixes de Rita Lee, EP da Marina Lima, BaianaSystem, essa máquina de discos, Costa Gold, Vittória Braun e Rafael Lorga, Jean Tassy e Iuri Rio Branco, Duda Beat, Royal Blood e Gojira. O mês ainda foi marcado por singles, “Girl from Rio”, da Anitta, “Oxum”, da Bixarte, “Vinte vinte”, com Ana Moura, Branko e Conan Osíris, “Sorriso aberto”, com BNegão e Digitaldubs, “Onda”, do Chicken from Angola, “The darkness that you fear”, dos The Chemical Brothers, e muito mais.

Maio

Aos 70 anos, Índio da Cuíca lançou o seu primeiro disco, que já nasceu icônico, “Malandro 5 estrelas”. Em um mês de estreias, tivemos os primeiros disco da jovem baiana Majur, o potente “Ojunifé”, da carioca Larinhx, com 13 vozes femininas em “Eu gosto de gatotas”, da drag goiana Kika Boom e da máquina Urias, que chegou com “Fúria PT 1”.  O mês ainda teve bons discos de Tuyo e Zélia Duncan. O mês ainda foi marcado por bons EPs Hiran e Marina e singles de Pabllo Vittar, MC Rashid e Chico CésarMC Kunumi, Ana Moura, Jaloo  e Strobo, Fabio Santanna, Pedro Mann e Caio Prado, Jup do Bairro e Negra Li.

Junho

Junho foi um mês de muitas emoções. The sad clown of Forró, Getúlio Abelha, lançou seu disco de estreia, que já nasceu histórico, “Marmota”. E ainda teve Pabllo Vittar e o brasileiríssimo “Batidão Tropical”, MARINA e o bom “Ancient dreams in a modern land”, o novo do Tyler, the Creator, “Call me if you get lost”, além de Iara Rennó, Melin cantando Djavan e o disco de Natiruts. Teve EP do projeto diferentão de Brasília Sozinho no Sótão, “Ela disse que não mais feliz”, misturando rock, pop, emo, PC Music e trap, EP de estreia do casal do Carne Doce, “Salma e Mac”, e o terceiro tomo dos remixes de Rita Lee. Alguns singles do mês já fizeram história, como “Calma”, de Marisa Monte, “Solar Power”, de Lorde, “Voltei pra mim”, de Marina Sena, “Gueto”, de IZA, e “Ea$y Money”, de Djonga e Coyote Beatz,“I Can´t Wait”, de Rodrigo Amarante, e “Nossa imensidão a dois”, de Guilherme Arantes. 

Julho

Entre os discos do mês, estão o novo da Marisa Monte, Amaro Freitas, MãeAna, Rodrigo Amarante, MC Carol, Triplx, Måneskin, Linn da Quebrada, Tuyo, Luisa Sonza, Giovani Cidreira, BotikaJoão Fênix, Guilherme Arantes, Maria Bethânia e Thiaguinho. O mês também teve bons EPS, como Raoni e Dandara, netos de Martinho da Vila, Mariano Marovatto, Ana Cañas cantando Belchior, Rita Vian, Bomba Estéreo e Paige. Entre os singles, alguns destaques foram Letrux com guitarra da juizforana Bruna Provazi, Tropkillaz com MC Dricka e Marcelo D2, Pitty, Rubel, Qinhones, Anitta e Renan da Penha, Lamparina e ÀTTØØXXÁ, Djonga e Martinho da Vila e +.

Agosto

Um mês que começa com um EP de Ney Matogrosso, comemorando 80 anos e antecipando disco, não pode ser de desgosto. Inclua aí um disco brilhante e pulsante de Paulinho Boca de Cantor, dos Novos Baianos, “Além da Boca”, com participações de Tim Bernardes, Anelis Assmpção e Zeca Baleiro, entre outros. Foi um mês com bons discos, com estreias fascinantes, de Marina Sena, a novísima quente voz da MPB, em “De primeira”, do Gabeu, com o inventivo “Agropoc”, e do rapper petropolitano DurangoKid, com “Dkameron – Delírios Disópicos”. O mês ainda teve pedradas de Billie Eilish, Lorde, Day, Tasha & Tracy e Halsey, além de dois EPs bacanas, de Mateus Aleluia Filho, “Sopro do Interior” e o segundo volume de Ana Cañas cantando Belchior. Entre os singles, destaque para Drik Barbosa e Péricles, Bixarte, Valesca Popozuda, Preta Gil + Fran, Elton John + Dua Lipa, Gaby Amarantos + Liniker e Leo Quintella cantando Sidney Magal.

Setembro


Me acorde quando setembro acabar cheio de bons discos de Gaby Amarantos (“Piraquê”), Liniker (“Índigo Borboleta Azul”), Halsey (“If I can’t have love, I want power”), Little Simz (“Sometimes I might be introvert”), Lucas Gonçalves (“Verona”) , Fernanda Abreu, (“30 anos de baile”), Lil Nas X (“Montero”), Estranhos Românticos (“Último Sol”), Jorge du Peixe (“Baião Grafino”), Cesar MC (“Dai a Cesar o que é de Cesar”) e Irmãs de Pau (“Dotadas”). O mês também teve bons EPs, como os de dona Patti Smith (““Live at Electric Lady”), Luana Flores ( “Nordeste Futurista”) e Dadi (“Todo vento”). Isso sem falar em  singles-foda,  como “Crash”, de Juçara Marçal, pra madeirar!, Caetano Veloso em “Anjos tronchos”, Luedji Luna, o marido e rapper Zudizilla e o filho Dayo em “Ameixa”, Qinhones cada dia mais especial em “Parafuso” Alice Caymmi em “Serpente” e Ney Matogrosso, Duda Brack e BaianaSystem em “Ouro Lata”.

Comentários