Sexta Sei: Tá na fita! Cearenses criam carteira a partir de fitas K7 para driblar pandemia

Quatro amigos abraçaram este projeto e, hoje, vendem 40 carteiras feitas a partir de antigas fitinhas por dia

por Fabiano Moreira
sextaseibaixocentro@gmail.com

Antes do início da pandemia, o escritor Edivaldo Ferrer, 33 anos, vendia seu primeiro livro, “6 poemas para ler na esquina”, pelas praças públicas e pelos ônibus de Fortaleza. Com as medidas de isolamento, viu seu sustento ameaçado e teve e ideia de, ao lado do amigo de vendas Emerson Silva, 36, criar a marca K7 Wallet, com carteiras feitas com antigas fitas K7 que são simplesmente um charme retrô. A eles, ainda se juntaram a esposa de Emerson, Izabel Dummer, 25, designer, e Bee Razec, 40.

“O Emerson já fazia essas carteiras sob encomenda, para um amigo ou outro, com o Bee. Eu cheguei a comprar uma e disse que gostaria de trabalhar com eles, caso fossem produzir em maior escala. Quando começou a pandemia, eu e Emerson ficamos impossibilitados de trabalhar vendendo nossos livros nas ruas. Foi muito difícil, não tínhamos outra renda, então foi um mês de fome”, desabafa Edivaldo, pelo Whatsapp.

As fitinhas chegaram para salvar o rolê. O primeiro passo foi estudar como transformar o produto em algo mais resistente. Eles não recomendam usar no bolso traseiro da calça e sentar em cima sempre, por exemplo. Também começaram a estudar como funcionava a venda nas redes e iniciaram pelo Facebook. Depois de feitas as alterações, abriram a loja no Instagram no dia 28 de maio de 2020. “A primeira que vendemos ainda está em uso e inteira”, orgulha-se.

As fitas utilizadas são de verdade, e cada carteira sai a R$ 40, com frete grátis para todo o Brasil. Documento de RG só entra se for o modelo novo, do mesmo tamanho da CNH. “As primeiras carteiras, os meninos compravam em feiras e brechós. Depois, conseguimos um contato com uma fábrica de fitas que fechou, aí começamos a comprar deles. A nossa ideia é essa, reciclar, reutilizar e manter vivas as coisas boas da vida“, analisa Emerson.

A empresa, que começou vendendo dez carteiras por dia, hoje está vendendo quatro vezes mais. Sim, eles já patentearam a ideia. A designer Izabel elabora as artes, reproduzindo discos clássicos, como os de Tim Maia, Chico Science, Chico Buarque, AC/DC, Iron Maiden, Legião Urbana, Bezerra da Silva, Pearl Jam, Nirvana e Racionais MCs, dentre outros, já que as fitas originais não trazem essas artes com imagens.

Os sócios Emerson e Bee são músicos, e Edivaldo está desenvolvendo um trabalho, como poeta, com Vitor Colares e Fernando Catatau, do Cidadão Instigado. Além disso, trabalha, escrevendo, mais dois livros de uma vez. Tem mais poemas dele aqui e aqui.

Esta semana, aliás, morreu o holandês Lou Ottens, aos 94 anos, o inventor das fitas magnetizadas na Phillips.

Abaixa que é tiro!💥🔫

Lembram que eu falei aqui da MC Tatá Dellon, braba aqui de Jufas que tocou (geral sentiu) com o clipe de “Girassóis”? No dia da mulher, essa semana, ela lançou o single “Sabiá”, falando sobre ansiedade e o fazer artístico. A produção é de Everbeatz, que já havia acertado em “Girassóis”. “A foto do futuro é um retrato de onde eu venho”, diz a letra. As ilustrações de Erik RK no lyric vídeo são um show a parte, com animação de Ventania, curti muito o trampo, inspirado no deus hindu Rama.

Um encanto os pins da marca Icebrg, criados para alfinetar a mesmice”. Tem coleção Zeca Pagodinho, com três pins: a figura do cantor + uma cerveja + um violão = festa em Xerém. E ainda rolam pins muito queridos de Faustão, em dois estados de humor, o “Faustenso”, a Cuca, “imunizadah”, o Zé Gotinha, herói nacional depois que recusou o aperto de mão do inominável, Ursal, a paródia de Veja, a “vaza”, Belchior, a mula-sem-cabeça, um boombox e até o Baby Capiroto, que é um amorzinho. Os pins custam R$ 40,95.

Meu amigo Sérgio Rodrigues Akash mora, há sete anos, em um sítio com mais de cem pessoas, em uma comunidade na zona rural de Porto Alegre, em Cantagalo. Um das formas de subsistência são as agendas Namastê, que trazem desenhos e inscrições feitas à mão em todas as páginas. “É um conteúdo para inspirar e instigar o seu dia, te tirar do lugar comum e fazer teu coração vibrar“, me conta, pelo chat do Facebook.

A agenda é vendida nas opções espiral (R$ 52) e brochura (R$ 55) e tem capas diferentes que homenageiam personalidades como Raul Seixas, Madonna, Muhammed Ali, Angela Davis, Frida Kahlo, Raoni, Pepe Mujica, tutti buona gente.

Gravadora independente, estúdio e criadora de trilhas, a carioca Rockit, de Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), do Leblon, faz festival virtual entre 17 e 21 de março. No line up, um timão, classe, que toca sempre às 20h, com Lucas Vasconcelos (dia 17), Meia Banda (18), Fira Banaba (19), Seletores de Frequência (20) e Marcelo Callado (21). 

Aliás, o Lucas acabou de lançar música nova, anunciando novo álbum, fiquemos atentos. Estive no estúdio uma vez, a convite da Maria Luiza Jobim, para a primeira audição de seu disco. Tinha cada disco de ouro nos banheiros, uma loucura, história do pop-rock Brasil pura

Eu adoro dizer isso: esse é mais um projeto com o selo Lei Aldir Blanc. O velhinho deve estar orgulhoso 😉

“Dores”, de Analu Pitta
“A Menina que colecionava estrelas”, de Ana Cláudia Ferreira

Cinco filmes dirigidos por mulheres e realizados com financiamento do Programa Cultural Murilo Mendes serão exibidos na mostra “Sexta Delas”, da Funalfa, no YouTube da fundação e também pela TV Câmara (Canal 35,1), hoje, 12, e nos dias 19 e 26 de março, sempre às 20h. 

São três curtas, um média e um longa-metragem. Após a exibição, os filmes ficarão disponíveis. Hoje, tem o documentário “Dores”, de Analu Pitta, sobre um vilarejo que foi inundado para a construção de uma represa, a ficção “A Menina que colecionava estrelas”, de Ana Cláudia Ferreira, que mostra mãe e filha, causos do imaginário popular se tornando realidade e um vestido que Mariana irá usar na Festa de São João.

Veja a programação completa aqui.

O Circo Voador no ar revive a noite quando Siba lançou o disco “De Baile Solto” na Lona, nesta sexta, 12, às 22h.

Angela Ro Ro faz hoje, 12, a terceira live do pacote beneficiado pela Lei Aldir Blanc, acompanhada pelo pianista e arranjador Ricardo MacCord, às 19h, com repeteco dia 26 de março. Amo.

Ainda nesta sexta, o NoPorn faz live, às 20h, com um setlist “Lado B“, com músicas raras nos ao vivo.

O 24º Cultura Inglesa Festival continua. Hoje, tem Bluebell tocando o icônico White Album, dos Beatles (12). Amanhã, 13,  é a vez de Anelis Assumpção cantar Bob Marley e, no domingo, Luciana Paes faz tributo à Amy Winehouse (14).

Também segue a programação do 1º dh fest – Festival de Cultura em Direitos Humanos, com coletivo Baile em Chernobyl, hoje, 12, e Kunumi MC, dia 14, sempre às 19h.

Hoje e amanhã são as últimas noites do Jazz Meeting, com shows, às 20h, de Nelson Faria (violão) e Rodolfo Cardoso (percussão), nesta sexta, 12, e André Geraissati, no sábado, 13.

No sábado, 13, rola a última tarde do Rolê Digital Campo Grande, às 19h, com show da cantora Micah

Na quinta-feira, dia 18, Fafá de Belém e Mariana Belém participam de bate-papo de camarim íntimo, às 19h, no programa Afetos, da Natura Musical.

Playlist com as novidades musicais da semana. Nesse post, tem todas as playlists do ano.  Aqui tem as playlists de 2020.

Playlist com os videoclipes da semana, com BaianaSystem, Major Lazer + Guaynna, Haikaiss, Jam da Silva, Jão, Luísa Nascim + Rafa Pinta, Maluma + Anitta, Bebe Rexha, Kings of Leon, SZA,  ABIR, Miley Cyrus, Samba do Arnesto, Gal Costa + Tim Bernardes, Yacht, Estranhos Românticos, Thiago ElNiño + Zé Manoel e +

Sexta Sei, por Fabiano Moreira