Sexta Sei: Simples como cantar: rapper Tatá Dellon leva para um rolê-exaltação no Morro do Cidão

Apesar de ter saído da comunidade, aonde cresceu, ela quis homenagear o local com uma imagem limpa, verdadeira, mas sem esquecer a falta de políticas públicas e a marginalização

por Fabiano Moreira
sextaseibaixocentro@gmail.com

“Ver o gueto cantar, meu povo sorrir, soltar as pipa no ar, pros menor se divertir”, canta a rapper Tatá Dellon, 25 anos, enquanto caminha pelas ruas da quebrada aonde nasceu e morava até pouco tempo, o Morro do Cidão, a favela da Linha, nos limites dos bairros Nossa Senhora Aparecida, Ladeira e Vitorino Braga, no novíssimo clipe de “Girassóis”. No filme, dirigido pelas minas da produtora audiovisual Corre Mundo, a rapper dá um passeio pelo bairro. “O girassol acompanha o sol, é a vitalidade, é a luz, a essência. A ideia é trazer e passar positividade e energia vital para as pessoas, espalhar boas coisas pelo caminho”, conta Tatá, pelo whatsapp, sobre o clima totalmente do bem da música. 

O clipe foi gravado em outubro do ano passado e, claro, parou o Cidão e a garotada. “O pessoal da rua ficou emocionadíssimo, no dia, as crianças não saíram de cima da Vivy Assis, a menina que pinta o girassol”, conta Tatá, que ficou três meses elaborando o clipe. “Queria uma imagem limpa, verdadeira. Gravamos tudo em dois dias, foi um momento de compreensão e acolhida, as meninas do Corre Mundo quiseram fazer parte de uma maneira grandiosa. Nunca tinha trabalhado com pessoas que dessem tanto valor pro meu trabalho e atenção pras minhas ideias“, conta, com emoção. 

O clipe foi gravado em outubro do ano passado e retrata a proximidade de Tatá com sua quebrada. “A comunidade sempre sofreu preconceito e violências, invisibilidade e discriminação, por falta de políticas públicas“, resume a rapper no release. Além de toda a família, que aparece no sofá da sala, ela homenageia, ao final,  o amigo da comunidade Érick Silva, 25 anos, que participou em breve take e morreu, em fevereiro, em acidente de carro. “Ter vindo de um lugar marginalizado pela sociedade não fez minha arte se esconder, não diminui sua potência”, atira.

A música tem produção musical de Ever Beatz. Tatá também é integrante do coletivo feminino de rap Las Manas Gang, ao lado de Laura Conceição, No Spotify, dá para conferir outras duas faixas dela, “Sublime“e “Poética”. Ela agora mora com a namorada em Santa Terezinha. A Corre Mundo também assina o clipe de Lunática“, de Laura Conceição,,

Senti uma coisa tão boa com esse clipe, uma delícia. Que venham mais, Tatá. Simples como cantar 😉 

Abaixa que é tiro!💥🔫

A quarta edição do superparaense Festival Lambateria no Círio, comandando pelo boa-praça e gênio guitarreiro Félix Robatto, será online. No line up, treme que tem DJ Zek Picoteiro (19h), Félix Robatto + Bruno Benitez (20h), Lia Sophia (21h15), o rei do carimbó Pinduca (22h30), Lucyan Costa (0h) e Viviane Batidão (01h30). Você pode contribuiir aqui. Dá uma saudade danada do Pará.

O Audio Rebel, este estúdio de música e aparelho da revolução carioca, está debutando e comemorando 15 anos de serviços prestados ao underground. As comemorações começam na terca, 13, e vão até 18, e o destacão é o show do Jards Macalé, dia 14, 21h, com Alberto Continentino e Thomas Harres. No sábado, tem showzera com Domenico Lancelotti.

Nas artes acima, tem todo o rolê, que ainda conta com nomes como Ana Frango Elétrico, Jô Hallack e Negro Leo, em debate dia 14, e Ava Rocha e Bernardo Liveira, dia 18.

O Circo Voador No Ar nunca decepciona e vem todo roquerinho com Dead Fish, na sexta, e Barão Vermelho, no sábado. E as lives? Hoje tem Johnny Hooker, 19h. No sábado, é a vez de Vanessa da Mata, 19h. Domingo tem a nossa Alessandra Crispin, 16h. Toda segunda-feira, 17h, tem Moacyr Luz e samba do trabalhador.

A Mostra Curto Circuito completa 20 anos com um site lindo de viver e sete filmes disponíveis por 24h no app Locke. A programação, com o tema Fé, Magia e Mistério no Cinema Brasileiro” traz filmes que ilustram o diálogo com o inexplicável e o sobrenatural. 

Os fimes são os seguintes, com suas datas de estreia entre parêntenses: Espelho de Carne” (1984), de Antonio Carlos da Fontoura (11), “Prova de Fogo” (1980), de Marco Altberg  (12), “Fé e Fúria” (2019), do nosso Marcos1.Pimentel (13), “As Quatro Chaves Mágicas” (1971), de Alberto Salvá (14). “Ele, o Boto” (1987), de Walter Lima Jr (15), “Demência”  (1986), de Carlos Reichenbach (16) e “O Princípio do prazer” (1979), de Luiz Carlos Lacerda  (17).

O musical Jacksons do Pandeiro estreia, às 20h, com transmissão ao vivo direto da Cidade das Artes, no Rio, pelo canal Bis na TV e n0 Youtube.  Com texto de Braulio Tavares e Eduardo Rios e direção de Duda Maia, Jacksons do Pandeiro é uma homenagem sincopada da companhia A Barca dos Corações Partido ao centenário do rei do ritmo.  O espetáculo será acessível e gratuito a todos, mas aceita colaboração consciente.

Geral sentiu, vai ter Brutus, a festa safadeenha do mestre Oscar Bueno, sábado, 10, das 22h às 4h, no Zoom.  A Brutus é uma festa LGBTQIA+ com pegada leather e fetichista. No line up, além de Bueno, tem Alexandre Bispo, Fernando Britto e Vinni Rocha, com visuais de Luz de Pandora.

O projeto Replay estreiou com releitura do disco “Acabou Chorare”, dos Novos Baianos, no streaming e em vídeos lindos aqui. Tem Francisco El Hombre em “Brasil Pandeiro”, Céu em “Tinindo trincando”, Xênia França em “A menina dança” e Letrux e Iolly em “Preta Pretinha”.

O Teatro de Quintal, o TQ, patrimônio imaterial de Juiz de Fora, entrou com tudo na era das lives, olha que maravilha, e podemos acompanhar Gueminho Bernardes e os melhores atores da história do grupo, todos reunidos, on line. Terça, entra no ar mais um um episódio do“Império da Má Vontade” e, na quarta, tem live, e quinta a cena “Eu amo meu inconsciente”. Terça e quinta, 18h, quarta, 20h.

O Sensorial é o novo espaço multiuso da cidade, aguardando a pandemia para inaugurar no Aeroporto. O centro de cultura foi criado para abrigar peças, dança, palestras, pocket shows e mais, com toda infra de som e luz, tratamento acústico e ar condicionado. Em fase de testes, estão fazendo temporada de transmissão ao vivo, todos os sábados de outubro, às 18h, do monólogo “Eu vou!”, que tem texto de Zélia Duncan e Cristina Flores em cena.

Playlist com novidades musicais dessa sexta. Esta semana, saiu o disco “Se chover”, de Lucas Gonçalves, baixista do Maglore


Sexta Sei, por Fabiano Moreira

Comentários