Conheça Baker, uma cachorra osso duro de roer

prefácio: Duduxo
entrevista: Francis e Joe
foto: Liz

“Personagem ilustre do underground de Juiz de Fora, Baker é frequentadora assídua dos eventos independentes da juventude sônica de Minas Gerais. Participativa, porém discreta, tem sido um exemplo de como se comportar nos rolês. Sem aborrecer os organizadores pedindo para entrar de graça ou dando calote no bar, interage cordialmente com todos os presentes e só fica zangada quando é confundida com alunos da FACOM e do IAD. Diferentemente dos papagaios, não sai por aí arrotando gírias que desconhece o significado. É bairrista e se interessa pelos artistas desse universo, mas não é movida pelo sentimento de complacência que leva – agitadores culturais – a valorizar compulsoriamente a arte local e que tem o efeito nefasto de nivelar tudo por baixo.”

Recorte de um zine que está sendo produzido pela @papelote.press

Baker na primeira edição da BRICOLAGEM – Feira de Zines e Artes Gráficas, realizada na Livraria Quarup em 2017.

Nas últimas semanas, os moradores do São Mateus, coração de Juiz de Fora, têm ficado apreensivos com o estado de saúde da Baker, que recentemente apareceu com um tumor na barriga. Enquanto a câmara de vereadores se apressa para conceder o título de cidadã honorária, os seguidores do instagram @baker_viralata participaram de uma rifa para financiar a biópsia e o Baixo Centro não perdeu tempo e fez um entrevista exclusiva.

Onde você nasceu?
Nasci em São Bernardo, SP

Como e quando você chegou em Juiz de Fora?
Eu cheguei em JF em 2016, tenho muita história, vim de bicicleta de São Bernardo em um caixote, o objetivo dos meus tutores (Thalisson Weba e Kodai), na época, era chegar no Maranhão. Cheguei aqui no mês de agosto.

Juiz de Fora é uma cidade boa pra cachorro?
Eu adoro Juiz de Fora, uma cidade de pessoas boas, onde eu coleciono amigos, antes de chegar nesse lar que estou hoje, estive em outras casas de amigos, André Viana, Igor Palmerim e a galera do Skeige. Eu curto muito fazer trilha com meu tutor atual, acho que mato a saudade das viagens.

Nós humanos temos algumas expressões que envolvem a sua família canídea, muitas pejorativas, como vida de cachorro, cachorrada, chutar cachorro morto, cadela, cachorrão, etc… o que você acha disso?
Os humanos tem que parar de achar que são superiores aos bichos, todo ser humano é parente dos bichos, se os humanos se espelhassem nos bichos não estariam nessa merda que estamos hoje. Somos todos animais e sentimos fome, medo, ansiedade, felicidade, gratidão, solidariedade. Enfim, a não ser que você acredite que Adão comeu Eva que comeu seu filho, isso sim é uma cachorrada. Eu acredito no Darwin.

Tá rolando um fofoca de uma gangue de cachorros na Padre Café atacando idosos? Procede?
Fiquei sabendo disso, muito triste, não sei se é um problema de classes ou de persona não grata no local.. mas de fato aumentaram muito os moradores de rua na região, deve ser por falta de um governo competente que dê trabalho digno,  SAÚDE e VACINA para população. 

Já fez cocô ou xixi fora do lugar só de sacanagem?
Sou muito educada, faço xixi e cocô sempre nos lugares certos, mas tem um militar na rua Padre Café que vive chamando os soldados do baixo clero para manutenção de obras na casa dele, eu sempre cago no seu passeio e meu tutor não pega como forma de protesto. Não gosto de militares, eles têm armas.

Como vai a vida afetiva, tá namorando ou interessada em alguém?
Recentemente perdi um affair, ele era lindo, se chamava Mateus, um vira lata grande de olho azul. Acho que morreu de câncer… era conhecido da região. Eu curto cachorro grande e, nesse padrão, acho que gostaria de namorar um crossfiteiro.

Você se considera um pet?
Acho que posso ser considerada pet humana, sou muito expressiva, quando tinha kibe no Krismara eu ganhava… consigo tudo através do meu olhar. Mas minha comida preferida é a asinha de frango.

De acordo com pesquisa de 2019, os nomes mais utilizados para pets no Brasil são Mel e Thor, de onde vem seu nome, que não aparece no top 10 da lista?
Baker é o seguinte: eu já tive 3 tutores pelo menos, meu primeiro nome era Baby, e fui para a gaiolinha, depois Kodai me tirou de lá e não achou muito legal continuar com esse nome, então mudaram para Baker, que é uma marca de skate americana famosa por ter skatistas rockstars.

Leia também

Comentários